É raro encontrar casais que não querem saber o sexo do bebê e preferem a surpresa do momento do parto. Comum mesmo são futuros pais aflitos, querendo matar a curiosidade para mergulhar em um dos mundos: azul ou rosa.

Cada vez mais, eles têm pressa em saber se o filho vai ser um menino ou uma menina, para o quanto antes lhe dar um nome, fazer planos, comprar o enxoval, preparar o chá revelação e até preparar e decorar o quarto tão sonhado.

A ultrassonografia, já não é o único método para desvendar o mistério. Há alguns anos surgiu a técnica da sexagem fetal, que dribla a esperteza do bebê que não quer se mostrar e diz para mamãe - e para quem mais quiser saber - quem é que vem por aí.

A sexagem fetal é um exame seguro, não invasivo e sem qualquer risco para a mãe e para o bebê, com excelente grau de acerto.

Para submeter-se a ele não é necessária solicitação médica e nem jejum. A mulher não precisa de nenhuma preparação especial (não há necessidade de jejum) e todas as grávidas podem se submeter a ele.

É bom ressaltar que o sangue é retirado da veia do braço e não da barriga, como muitos pensam. A mulher deve, preferencialmente, estar além da décima semana de gestação, quando a quantidade de DNA fetal circulante no sangue materno é suficiente para conferir 99,9% de acerto. Antes disso, há chances do resultado - que sai em uma semana - ser inconclusivo. Aí, o melhor é fazer nova coleta após uma ou duas semanas.

Venha para o Laboratório Miranda Reis realizar a sexagem fetal e matar a curiosidade!